quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Propósito - Michele Martini


Tudo na vida ocorre da forma perfeita.


E o despertar para o nosso propósito vem aos poucos. Na medida em que vamos trabalhando a liberação das restrições, e dessa forma nos preparamos para assumir algo maior, mais alinhado ao nosso propósito de alma.

Dessa forma vamos limpando as raízes podres, vamos curando as feridas, perdoando, e nos soltando da prisão mental que criamos para nós mesmos.

Essa liberação da prisão mental abre o olhar a novos horizontes, que vem a se materializar de forma concreta e sem possibilidade de erro.

O caminho reto que começa a ser trilhado a cada etapa da limpeza é sempre em direção ao propósito, à completude interior.

O propósito é atender sempre ao chamado do coração. Mas para que as portas das oportunidades se abram para a materialização em nossa vida, necessitamos abrir espaço dentro de nós, desde o momento da remoção de antigas crenças e formas de ver a vida, de aceitação da rotina dentro de um ciclo vicioso de sofrimento e masoquismo, nos libertamos para ser preenchidos com mais amor e mais luz.

Pergunte a si mesmo: O que acende o seu coração?

As palpitações do coração podem vir carregadas de medo, de temor, ou de amor.

Quando vêm carregadas de amor, a leveza toma conta de nossas vidas quando sentimos esse pulsar do coração, ao nos aproximarmos mais e mais do nosso propósito. Isso vem de forma leve, doce e calma.

Não é como um rompante a causar o medo do novo, mas a verdade vai se mostrando aos poucos e abrindo o nosso olhar para a nova vida que iniciará a partir dali.

Então temos a certeza de que devemos trilhar por esse novo caminho, pois a luz que brilha do nosso coração, a nos atrair à mesma luz que traz o chamado do nosso propósito, é muito forte a nos atrair, como um imã ligado pelo coração.

O propósito, quando se apresenta, vem irradiado de amor, de doçura, e nos liberta do temor pelo dia de amanhã, pelos entraves do caminho, e pela dureza do coração. A luz nos irradia de forma mais intensa, e a vida passa a manifestar abundância e felicidade simplesmente por ser vivida. Pela oportunidade existir.

Esse é o chamado do despertar. Nessa Nova Era, a descoberta do coração será por unir o amor ao nosso trajeto, e então trabalhar apenas para o amor e nada mais.

Quando amamos a nossa vida, somos mais felizes. Quando nos prendemos a um ciclo masoquista de sofrimento, estamos impedindo a nós mesmos de sermos luz.

O medo por vezes nos mantém nesse ciclo de masoquismo por muito tempo, mas na medida que a libertação de cada elo dessa corrente de prisão é rompido, mais luz nos irradia, e ilumina ainda mais o nosso olhar, a nos mostrar o propósito que se torna mais claro e é revelado a nós.

Não há porque se preocupar ou forçar as transformações, pois a preparação é necessária, o processo é gradativo e libertador, e trará sempre a purificação do olhar.

A descoberta virá através do chamado do coração, do pulsar em amor e luz, e as novas experiências se apresentarão primeiramente nesse chamado interno, para depois romper todos os elos da corrente que ainda se sustentam, a irradiar uma luz mais forte da descoberta por um ideal.

Essa grande luz irradia de dentro para fora, a atrair como um polo magnético todas as possibilidades de materialização desse sonho, que antes só existia a pulsar no coração envolto de uma máscara ilusória de medo e confusão mental, mas que agora se liberta e irradia em amor a nos guiar ao nosso verdadeiro propósito.

E a vitória do amor se dá!

Irradiando mais luz ao planeta!

Nos libertamos do medo e do ódio, dos entraves ilusórios mentais que criamos para brilhar na nossa caminhada! Estamos livres e libertos para apenas ser amor!

Somos amor em nossos gestos, no olhar, na relação com o mundo e com as pessoas, e também em todas as atividades que nos propomos a executar. Brilhamos em luz abrindo também o olhar daqueles que estão envoltos em sombras criadas por eles mesmos, e àqueles que não conseguem criar a inspiração dentro de si mesmos a iluminar a sua própria caminhada. Nos tornamos a inspiração por um mundo melhor de mais luz e amor.

Mostramos que sim, é possível ser feliz e transformar o todo em uma manifestação de amor!

E assim é

Michele Martini - 26 de setembro de 2017

Fonte: www.pazetransformacao.com.br

Vocês são a mensagem - Lord Maitreya


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Porque algumas mulheres não conseguem ser felizes sozinhas? - Michele Martini


Imergimos a nós mesmas nas profundezas do incerto. Permanecemos insensíveis às belezas da vida, e ao amor a nós mesmas. Nos separamos da unidade, do todo, da essência da vida.


Nos afastamos do que poderia ser a conexão com a nossa própria beleza, que é nada mais do que o reconhecimento da divindade interior que é parte de cada uma de nós. E assim nos iludimos em pensar que necessitamos de algo que nos complete.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Um relacionamento estável acaba com nossa solidão? - Thiago Strapasson


A solidão não é apaziguada por algo externo. Ela está em nosso interior.

Muitas vezes vemos em um relacionamento aquilo que por momentos nos ameniza a solidão. Sentimo-nos temporariamente preenchidos. Mas o tempo nos devolve a solidão se não a trabalharmos interiormente.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Porque nos sentimos solitários em meio à família? - Thiago Strapasson



A família é nosso berço. Foi ali que iniciamos nosso trajeto, que aprendemos as primeiras regras da vida, que recebemos afeto. A família é o início de nossa vida, um lugar que, em nosso registro, semeia a lembrança do acolhimento.

Mas também é onde fomos ensinados que existem regras. A partir da família iniciamos o processo de tomar contato com nossa personalidade, ou com aquilo pensamos que somos. Ali se formam nossos primeiros traumas, nosso sentimento de incapacidade, de dependência afetiva. Na família aprendemos a vestir mascaras para agradar, para conviver, muitas vezes disfarces, papeis que exercemos nesse seio de acolhimento, mas que no fundo não nos faz bem.

sábado, 26 de agosto de 2017

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Mantendo livre a intuição – Kuan Yin


Meus queridos filhos,


Passam flashes diante de nós. São sons, luzes, pessoas, falas, ruídos. Os sentidos físicos estão sempre conectados à vida na matéria. Não permitem que nos aquietemos. Não há como desligá-los, pois são nossa própria proteção natural diante da vida.

A metáfora da abóbora - Consciência Nesara - O Grupo

Inscreva-se em nosso canal do YouTube


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Caminhando sobre as águas - transcendendo os seus maiores medos - Mãe Maria


Que as bênçãos do amor tragam paz aos seus corpos, mentes e corações.


Amados filhos,
Quando carregamos os pesos que a consciência traz como bagagem de traumas, dores e comportamentos antigos, demoramos mais a cruzar a linha que nos separa da grande montanha de sabedoria.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Somos todos Um - Pai José de Aruanda


Hihihi


Os fio tão acostumado a escreve mensagem dos otro né fios?

Mas o veio vai conta uma coisa proceis. Tudo o que vocês escreveram até agora era oceis fios. 

Pois de que adianta eu e os mestres virmos aqui fala pra oceis que todos somos um, que somos a unidade e a união gera o que conhecem como divino... se oceis não consegue junta tudo fios?