terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A fuga do “Ser reconhecido” – Mestre Saint Germain



Amados filhos,

Imaginem nesse momento uma pequena casinha de madeira.

Em meio a um lugar desértico com o mar em frente. Grande vegetação em volta, e muita paz.

Mas, nesse momento, aproximando-se da casinha, vocês observam que lá dentro há uma senhora. Ela está a fazer tricô. Tecendo roupas para ela mesma, ela sorri e está em paz.

Ao sair pela porta, ela pode contemplar a paz e a beleza. Ela medita enquanto faz o tricô. Ela se exercita enquanto busca alimentos no mar e na mata para consumo próprio. E assim a vida segue. Ela é feliz. Mantém-se sempre centrada no seu equilíbrio. Pois não há nada que perturbe essa paz.

Então nesse momento alguém se aproxima da casinha e adentra pedindo por ajuda. Pede por alimento e vestes, e a senhorinha auxilia com muito amor.

Esse alguém veio de muito longe, a trazer uma palavra de paz, mas, envolvido em tanta mentira, em tanta falsidade do mundo externo, deixou-se doer no coração. Foi ferido profundamente, porque manteve o coração centrado no amor e não se deixou levar pelas ilusões da matéria. Isso fez com que saísse da batalha ferido, com o coração ferido, mas mantendo centrado o amor e o equilíbrio com a sua própria verdade.

A senhorinha o cobriu com carinho e afeto. Deu água, alimentos e amor. Disso ele precisava para seguir em frente com as energias recarregadas. Ele não precisava de uma mansão, de alimentos fartos, oferecidos com base na frieza de sentimentos e desamor. Ele precisava do amor, do carinho e do afeto, muito mais do que o agasalho e o alimento.

Esse amor aqueceu o coração do senhor, que seguiu a caminhada renovado, com esperança de que ainda há amor. Com o exemplo da fé e da caridade, que ele mesmo recebeu, mas que ele tentou tanto pregar e praticar, recebendo somente bordoadas da vida e das pessoas em sua volta.

Assim, ele levou a palavra a milhares de pessoas, que mostraram que são capazes de ouvi-lo com muito amor. Assim ele se fez eterno nos corações de tantos outros, que sentiram esse coração aquecido também a os aquecer.

Mas esse homem, esteve também envolvido em seus momentos de fraqueza, onde precisou buscar o coração aquecido de outro ser, e não somente do seu Eu Sou. Precisou abrir-se a receber auxílio amorosamente. Pois percebeu que nada nessa vida pode ser completamente feliz quando se está só. Ele percebeu que somente ele, sozinho em seu verdadeiro propósito, não conseguiria alcançar o grande objetivo final.

Ele precisava sim de um coração aquecido, a fazer parte dessa grande história, a qual transformaria a vida de tantas pessoas pelas quais ele tocasse no coração.

Esse homem, descobriu que, enquanto envolvido em castelos de riqueza, enquanto foi convidado a banquetes e recebeu todo o conforto material, esteve a se esvaziar por dentro.

Ele percebeu que, quanto mais as pessoas o reconheciam pelo seu trabalho, quanto mais se tornava conhecido em sua jornada, mais se desviava do seu verdadeiro propósito, e então foi, a caminhar sozinho em meio ao nada, para então encontrar a singela casa da senhora. Muito humilde, e sem saber quem era esse homem, estendeu a mão e o coração a ele.

E o fez perceber que esse reconhecimento é o mais rico. Que esse amor, quando oferecido de forma abnegada e anônima, é o mais preenchido do verdadeiro sentimento de caridade.

E o que é então a caridade, filhos? É aquele ato de oferecer sem esperar absolutamente nada como retorno, nem mesmo o reconhecimento, nem mesmo o prestígio. Apenas alimentando no próprio coração o sentimento de gratidão que é a maior recompensa e que cura todas as feridas da batalha.

Os grandes nomes, filhos, que passaram por essa Terra, tiveram momentos de luxo onde foram banhados em riqueza, durante a caminhada, mas se permanecessem ali, envolvidos naquela riqueza, se esvaziariam por dentro e o propósito se perderia. Estariam se distanciando da sua verdadeira missão. E por isso, ao atingir o prestígio e o reconhecimento, abandonam e seguem em frente, com o amor e a fé no coração. A certeza de que é possível sim transformar o mundo em algo mais repleto de luz e amor. Em algo de muita paz. Mas sempre levando no coração o sentimento de gratidão.

A simplicidade, e o olhar para a verdadeira caridade, muitas vezes necessita da fuga do "ser reconhecido" para que então esvazie a lista de louros, mas preencha o coração de amor e gratidão.

E assim é.

Sou Mestre Saint Germain

Canal: Michele Martini (Michelinha OM) - 28 de Fevereiro de 2017

Fonte: https://verdadetransmutadora.blogspot.com.br/