Translate

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Como levar a vida mais saudável?


Estar presente, essa é a fórmula para ser meditativo todo o tempo. E estando meditativo, estamos unos com tudo à nossa volta e com o nosso corpo. Deixamos que a intuição dirija as nossas vidas sempre no sentido de levar mais equilíbrio para a nossa rotina.

Sendo assim, trabalhamos vários aspectos em paralelo, que trarão esse estado meditativo. Não se trata apenas de parar por alguns instantes para meditar, mas sim de tornar-se a meditação cem por cento do tempo, estando presente no aqui e agora da forma mais bela que esse agora poderia se manifestar.

Assim nos desvinculamos dos padrões de sofrimento, deixamos de conectar com os registros de dor da malha planetária e que nós mesmos trouxemos como recordações do passado. É a fórmula para nos desconectarmos com o que nos fazia sofrer.

Estando em estado meditativo todo o tempo, passamos a observar tudo o que ocorre envolvido na sua própria beleza, deixamos de ver o sofrimento e também não há mais certo e errado. Tudo é certo e da forma mais perfeita assim como é apresentado, sem modificar absolutamente nada. Deixamos de tentar mudar tudo em nossa volta e simplesmente aceitamos o fluxo natural da vida. Estamos a buscar o estado búdico, o estado de não ser.

Trocamos a personalidade, que julga, que condena, que está insatisfeita ou satisfeita com algo, pelo estado de paz e plenitude, que pode ser conquistado aos poucos.

Sabemos que a energia na qual a Terra existe, ligada aos registros cósmicos de tudo o que já ocorreu na história desse planeta e às formas pensamento de toda a humanidade, é um verdadeiro desafio àquele que busca a sua própria iluminação. Mas a iluminação e ascensão se dará por aquele que transcende todos esses aspectos registrados na malha planetária que se manifestam em si mesmo, mas que assim podem ser transformados em amor e sabedoria plena.

Esse estado de deixar acontecer, de aceitar as sombras internas, que são expostas pela influência do próprio planeta e das energias que carrega, faz com que possamos tomar conhecimento daquilo que está impedindo que levemos uma vida saudável. Afinal de contas o que seria uma vida saudável? Saudável é viver de acordo com o nosso estado pleno de conexão com as necessidades da alma, que de fato não tem necessidades, não tem vontades, ela simplesmente é.

Sendo assim, conscientes de que simplesmente somos, nos deixamos levar pelas experiências da vida, da forma que se apresentam. Deixamos de ter vontades ou não vontades. Simplesmente deixamos fluir as energias em nós e em nossa volta, atentos ao que chega como sinal intuitivo para atender as necessidades daquele momento de forma leve e instintiva.

Podemos comparar esse estado ao que Buda alcançou, mas que foi mostrado como o final do processo. Ele alcançou o estado búdico e não mais ouvia as vontades do ego, não culpava e julgava, não mais gostava ou deixava de gostar, ele só via beleza, só via perfeição, pois assim tudo é. Assim a vida se manifesta, pura e simples, mas a personalidade a torna complexa e desafiadora, cheia de obstáculos à nossa própria ascensão e paz.

Então estamos inseridos nesse meio onde o tempo todo somos testados a expor os pontos pequenos que nos conectam à matriz de sofrimento, pois sim, nós também contribuímos para construí-la, e criamos um fio de conexão que nos une a ela. Mas esse fio é ativo apenas porque ele dá e recebe a mesma energia, ele dá sofrimento e recebe sofrimento, e assim se faz a conexão de simbiose. Mas então quando deixamos o estado meditativo ser presente em nossas vidas, deixamos de enviar a energia de sofrimento, e então a simbiose deixa de existir, e o fio se rompe.

Esse é o processo que limpa, transmuta, aspectos negativos e restrições que impedem de ouvirmos o chamado de nossa alma, as vozes de nossa consciência, que nos diz tudo o que devemos fazer para guiar a nossa vida de forma saudável.

Todos os impulsos que nos levam a escolher uma atividade física para a saúde do corpo, ou mesmo a alimentar-se de algo, podem vir através do instinto natural do próprio corpo, que diz a sua necessidade, ou pode vir da mente que resgata tal necessidade de alguma experiência que se foi, e que deixou recordações em nosso inconsciente.

Isso ocorre por exemplo com aquele que em uma certa fase da vida praticou algum tipo de esporte, mas que ficou a recordação de um tempo de alegria e paz, quando na época da juventude, onde se era livre e não haviam na mente as preocupações que existem hoje. Essa recordação permaneceu de forma positiva, e então essa certa atividade física é vista como algo bom, algo satisfatório. E então a mente o leva agora, no momento presente, a querer praticar tal atividade. Mas ocorre que muitas vezes quando inicia percebe que não era isso o que necessitava, percebe que já não tem mais o preparo físico necessário a se dedicar em tal atividade, e então registra no aqui e agora um sentimento de incapacidade, de derrota.

Isso ocorre porque não foi ouvida a necessidade do corpo, e sim a necessidade trazida por um registro da mente, que nega o momento presente e tenta o tempo todo trazer uma recordação do passado para o agora, para então transformar o aqui e agora. Mas o que precisa ser entendido, assim como na alimentação e tudo o que está relacionado ao estado de saúde do corpo, é que o momento do aqui e agora é único, e o momento de amanhã será único também, e não uma repetição do que se foi.

O hábito de trazer antigas praticas, manias, recordações, do passado para o presente e tentar projetá-las no futuro, é algo que apenas atrasará o nosso processo evolutivo, a nossa transformação e estrada de aprendizado. Pois o futuro não está escrito em algo que ocorreu no passado a se repetir. E sim o futuro é completamente e absolutamente novo. Por isso de nada adianta planejar e projetar no futuro algo que vem da mente, e sim o estado de felicidade, a forma de viver saudável, está em deixar que o futuro se dê de forma natural e equilibrada, a se mostrar como o desabrochar de uma flor.

O estado de aceitação do aqui e agora e a compreensão de que o futuro desabrochará naturalmente na medida que os aprendizados forem se completando e se transformando em sabedoria, fará com que vivamos em equilíbrio uma vida saudável.

A vida saudável é aquela que podemos viver sem preocupações, sem recordações e sem projeções. Vivemos apenas o hoje, em estado meditativo, observando, aceitando, aprendendo, e aglutinando as experiências em sabedoria em nosso registro cósmico, pois apenas isso fará com que desabroche o próximo minuto de forma completamente nova e surpreendente, deixando de ser apenas uma repetição de algo que já foi.

O estado consciente do momento presente é a abertura ao novo.

Michele Martini - 11 de dezembro de 2020.
Fonte: www.pazetransformacao.com.br