terça-feira, 6 de junho de 2017

Como descobrir quem é você - Mestre Saint Germain


Estamos vivendo um período onde vocês são confrontados o tempo todo por várias das suas identidades. Aquelas que vocês assumiram como reflexo de restrições vividas em encarnações anteriores, como também algumas que vocês criaram como vidas paralelas, ou mesmo aquelas que assumiram de forma temporária a tentarem se encaixar em um meio que não condizia com a sua natureza.

Vocês permaneceram por muito tempo assumindo diversas dessas identidades e não mais foram se identificando com algumas, e foi quando deixaram gradativamente para trás algumas delas.


Mas ainda há aquelas as quais vocês são levados a assumir, ainda que não tenham assumido até o momento presente, e que são esperadas de vocês para que permaneçam inseridos na realidade presente, aquela que se manifesta em suas vidas, para que sejam aceitos no meio onde vivem.

Vocês podem compreender essas palavras de diversas formas, mas a verdade é que todos, sem exceção, assumem posturas, identidades, para se inserirem em um meio social.

Esse meio social pode ser entendido como algo macro ou mesmo micro, como o exemplo de estarem encarnados em um planeta onde há classes sociais, divisões entre o masculino e o feminino, e ainda há as divisões de castas, de cor de pele, de nível intelectual. Ou seja, mesmo que não percebam, estão o tempo todo a manifestarem a identidade para que pertençam a esse meio, enquanto encarnados, em manifestações físicas adaptadas exclusivamente para que vivessem essa experiência.

Isso detalhado acima, visto de forma macro, é entendida a nível mundial, e pode ainda ser mais detalhada quando se pensam em países, cidades, regiões, onde há costumes. Em alguns há o costume de usar de uma vestimenta, em outros não há esse costume. Em outros são aceitos certos tipos de alimentos e em alguns certos são proibidos.

Dessa forma, de forma mais micro ainda, vocês se percebem cumprindo papéis para se inserirem em um meio social, para serem aceitos pela sociedade. E aí então é que são provocados a promoverem as mudanças, do micro para o macro. Do nível individual, para o coletivo.

Vocês, inseridos em seus meios sociais, colocam-se no papel de diversos personagens, e assumem vários simultaneamente, mas divergentes entre si, para que se adequem da melhor forma a cada meio social, para que se moldem e sejam aceitos por tais meios onde convivem.

Dessa forma se iniciam os conflitos. Os pais de família que se dedicam ao trabalho de forma tão extrema a comprometer sua vida familiar, ou mesmo aqueles que se envolvem de forma tão profunda aos problemas da vida pessoal do núcleo familiar, que permitem que isso interfira no trabalho, reduzindo a sua produtividade. Dessa forma são colocadas as primeiras provocações. Pois afinal, porque é necessário assumir dois papeis, duas identidades para existir nessa experiência encarnacional? E se unirmos as duas a formar apenas uma?

Por muitas vezes, a sua verdadeira essência, a sua verdade, está contida em um misto de um pouco de cada personalidade que vocês assumem, um pouco de pai de família, e também um pouco daquele empresário bem-sucedido.

Mas os extremos levam ao choque entre as personalidades, porque vocês se identificam de certa forma com cada uma delas, que levam ao extremo, e então se afastam do caminho do meio, que é apenas o agregar de experiências de cada um dos papéis assumidos, para então transformar em sabedoria.

O esvaziamento completo, por vezes é necessário, quando aquilo que vocês viam como apenas uma experiência passa a se transformar em uma nova personalidade assumida de forma extrema, e aí estão padrões a serem quebrados, um ciclo a ser rompido, e que retorne ao equilíbrio.

Vocês são colocados em situações extremas, onde aquilo que levavam como um equilíbrio ilusório, mas que era na verdade um apego a várias identidades, e o medo do esvaziamento, passa a se mostrar de forma mais intensa, a exigir de vocês além do que poderiam oferecer.

Vocês por muito tempo cumpriam um papel de forma mediana, e em paralelo assumiam outra personalidade também de forma mediana. Mas é chegado o momento de quebra do ciclo. Onde vocês atingem o ponto onde isso se transformará em sabedoria, e vocês seguirão em frente sem levar nenhuma dessas duas bagagens, nenhuma das experiências. E então são colocadas diante de vocês situações onde são provocados a entregarem-se mais e mais, de forma mais intensa a tais personalidades assumidas. Para que então compreendam através dessa provocação que vai além dos seus limites, que aquilo de fato não representa o que vocês são.

E então vocês dão um passo atrás, retornam e observam aquilo como apenas algo que era necessário ser aprendido, mas que se continuarem seguindo por essa estrada, entregando-se às exigências sociais, as exigências impostas para vocês para que se tornem cada vez mais a representação daquela personalidade, mais vocês se afastarão do que diz o coração.

Vocês recebem o chamado do coração de um lado, e de outro lado são provocados a ser mais e mais aquele personagem que era apenas uma experiência, um trampolim para adquirir mais sabedoria apenas, mas que ao perceber o seu afastamento dessa identidade, vem com tudo a os impor, a os cobrarem que assumam de fato essas personalidades. Mas que não mais dizem sobre vocês.

Vocês são provocados para que olhem para a discrepância existente entre o que vocês são versus o que a sociedade está exigindo, impondo, sobre vocês. E então é quando dão um passo atrás. Se questionam se o caminho que está sendo exigindo é realmente o que você sente ser a representação de si mesmo, se ao cumprir as exigências sociais, você está sendo verdadeiro consigo mesmo.

Justamente você, que trilhou toda uma jornada de encontro à sua verdadeira identidade, sendo provocado a assumir de forma mais intensa um personagem que, hoje você compreende de forma muito clara, não representa nada sobre si mesmo.

E então o que fazer diante de uma situação dessas? Como seguir adiante?

Apenas transcenda!

Transcenda as provocações dos Eus Personalidades, permaneça na sua linha reta rumo ao encontro com o Eu Sou. Permaneça sendo a sua verdade.

Por muitas vezes essas provocações, manifestações, são colocadas diante de vocês através de experiências, como uma prova, para experimentá-los. Para que você reafirme se aquilo realmente não diz sobre você, ou se você ainda se identifica com aquele personagem.

O medo acaba por envolvê-los, e muitas vezes faz com que sigam o caminho da regressão no processo, vivendo de forma mais intensa um antigo personagem, que está ainda a representar algo para vocês, pois ainda estão a se identificar com certas representações materiais. E ainda não é o momento de transcenderem essa experiência.

Mas então, e se vocês não cederem às provocações? Vocês vão mudar radicalmente as suas vidas?

Não!

Absolutamente não, pois vocês ainda permanecem inseridos nas experiências, mas já aprenderam a desvincular o que é a sua verdade, daquilo que é apenas uma experiência. E passam a unir a manifestação do Eu Sou na experiência. Que é justamente o objetivo. Você pode permanecer cumprindo um papel na sociedade, um papel social, uma posição no trabalho ou mesmo no núcleo familiar, mas passa a agregar a essa experiência a sabedoria do Eu Sou. Suas ações não mais serão pautadas no fluxo social que é imposto para todas as pessoas, mas sim você será ali o exemplo do desprendimento do que é imposto pelas regras sociais, e sim representará a sua essência.

Esse é um processo natural. E vocês sim serão provocados ao chegarem em pontos chaves na caminhada de vocês, onde deverão optar se ainda se mantém se identificando com tal personagem, ou mesmo se reafirmarão nesse momento, o seu verdadeiro proposito, que já foi identificado por vocês, mas que à primeira vista não ressoa com os padrões sociais que você vive. Mas descobrirá que essa percepção é mera ilusão da matéria. Pois para serem os agentes transformadores da Nova Era, deverão alcançar esse estado de desprendimento, e a vivencia do Eu Sou nas suas atividades e no meio social onde vivem. Assim se dará a transformação.

E assim é

Sou Saint Germain

Canal: Michele Martini - 05 de junho de 2017.

Fonte: www.pazetransformacao.com.br