Translate

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Onde encontrar energia para usar no dia a dia?


Muitos aspectos que carregamos em nossa vida nos impedem de absorver e de encontrar a fonte da energia. Pois mantemos por muito tempo aquilo que consideramos como não aceitável e errado, que julgamos dessa forma, e que impedimos de se manifestar. Tudo está relacionado a guardar energia escura dentro de nós.

Portanto, será difícil manter a energia elevada quando buscamos a fonte de reparação externa mas mantemos dentro de nós a escuridão impedida de sair e de ser transformada.

É necessário olhar para a podridão, pois com o tempo nós a escondemos, criamos a falsa ilusão de que é uma podridão, mas na verdade apenas é algo humano, é apenas a experiência humana e nada mais. Mas nós condenamos, acusamos, culpamos, e por isso escondemos. Então chega o momento que, depois de tantas experiências, estamos prontos a abrir esse calabouço e deixar sair a podridão.

Ao primeiro contato temos medo, não nos aproximamos, não perguntamos, não falamos, mas com cuidado vamos chegando mais perto e tomando contato, até descobrirmos que aquilo nos causa profunda dor. E então tomamos contato com essa dor novamente, aquela que não queríamos mais sentir e por isso a deixamos trancada. Pois nos causava dor, a pior das dores insuportáveis de se aguentar. Mas é necessária coragem para entrar na dor e então senti-la até o escuro do calabouço, e descobrir o motivo pelo qual a prendemos lá naquele local onde ficava distante de nós mesmos. Mas que um dia retornaria, em doses pequenas até que pudéssemos enfim tomar contato profundo novamente com aquilo que ficou esquecido, mas que acabou crescendo sem percebermos, pois, se não olhamos para o que nos faz sofrer o abandonamos, e o abandono causa consequências. Ninguém quer ser abandonado. Mas ao abandonar fizemos com que aquilo continuasse a existir de uma forma velada, mas que crescia.

Tocamos a dor, deixamos que ela nos diga o que a aflige e então estendemos amor e perdão. Nos unimos a esse personagem que não mais devia existir, mas que ficou abandonado pois foi incompreendido. Estendemos o nosso amor e compreensão e então passamos a entender a causa do sofrimento que carregávamos por tanto tempo, mas que poderia ter sido diluído em amor e afeto, em compreensão e perdão.

O sofrimento existe porque é incompreendido. Ele não tem voz, ele só sente, só sofre, ele se manifesta como dor, como uma consequência, mas que é inconsciente da causa. E a causa é trazida pela conversa com esse lado esquecido, e pela compreensão a mostrar os fatos como são e o amor por trás de tudo o que ocorre durante as nossas experiências. O amor e a chave, o perdão a rota de fuga do sofrimento, que encontrará o caminho da felicidade através de toda a carga que carregávamos e que era escondida de nós mesmos.

A dor será dissolvida apenas pelo amor, e, portanto, os atos de perdão são necessários à alma que busca pela própria liberdade e paz.

A vida é completa apenas quando se decide olhar para tudo o que nos causa temor, e então curar. Enquanto permanecermos fechando os olhos com medo de olhar para o que tememos e nos causa dor e sofrimento, estaremos permitindo que isso cresça longe dos nossos olhos, e do nosso controle. Mas ele nunca deixará de existir. Ele apenas mudará e deixará de nos causar dor quando o transformarmos em amor e sabedoria, através do perdão.

Então como podemos perdoar a energia escura dentro de nós se decidimos fingir para nós mesmos que ela não existe? Se a condenamos e julgamos? Se temos medo de nos aproximar com receio de nos machucar? Precisamos transcender essa etapa, trabalhando com a energia do perdão, que é muito poderosa e transforma a energia densa em luz.

O primeiro passo para aprendermos a absorver e encontrar a fonte de energia que nos manterá saudáveis e felizes, nosso corpo satisfeito, é fazer a limpeza interna, retirar toda a energia escura a transformando em energia de luz. Afinal, enquanto continuarmos a permitir essa energia escura crescer dentro de nós, não haverá energia de alimentos de luz suficiente para suprir o nosso corpo, que continuará a manifestar doença e sofrimento, devido a fonte interna de densidade que estávamos a alimentar, a permitir que crescesse devido à nossa indiferença e não aceitação.

Vamos trabalhar para que a energia densa interna seja transformada, e então possamos iniciar uma jornada de pureza e luz, onde seremos apenas a energia boa manifestada e reluzindo em nossos corpos, como fontes de luz e energia que alimentará a nós mesmos e tudo em nossa volta, como um ciclo positivo de energia.

Apenas através do perdão, será possível transformar. O amor, a aceitação e a compreensão são as fórmulas que dissolverão a dor, pois o que a mantém ativa é apenas o fato de negarmos o perdão e a caridade a ela. Afinal, nos julgamos tão sábios e bondosos com os outros, aprendemos a perdoar e a aceitar, mas enfim escondemos dentro de nossas cavernas interiores aspectos que negamos e não aceitamos.

Necessitamos nessa nova jornada aprender a perdoar e a amar tudo o que corresponde a nós, tudo o que faz parte de nossa existência. Aprenderemos a amar o nosso corpo, a nos apaziguar com ele, e também a aceitar todos os aspectos que fazem parte de nós e estão sim a causar sofrimento para o corpo.

As doenças que trazemos como reflexo de experiências de vidas passadas, e nos impedem de desfrutar de uma vida saudável e abundante, podem ser curadas através desse novo olhar de perdão. Para isso, devemos nos atentar ao momento que se manifestarem, e então as aceitarmos, entrarmos definitivamente dentro dessa doença, dessa dor, ou dessa restrição, e nos colocarmos à disposição para ouvir, ver, aceitar tudo o que vier.

Perceberemos que muitos aspectos que estão presos nessas manifestações de sofrimento, estão relacionados a comportamentos que temos hoje, e que nos impedem de florescer. São as pequenas pétalas que foram impedidas de desabrochar, mas que, uma a uma, vamos trabalhar para a sua libertação, e que venham compor o florescer da linda flor que é a nossa consciência plena manifestada nessa vida.

Iniciamos um trabalho, assim, com o HO’OPONOPONO, que será nosso companheiro nessa caminhada até o final desse trabalho, que repetiremos diariamente até que se dissolvam todas as restrições que impedem que a pétala se abra. Essa prática será trazida para que possamos gravar em nós uma nova programação, aquela que afirmará que somos sim capazes de olhar para tudo o que nos impede de sermos felizes e aceitarmos e perdoarmos.

Trabalharemos a prática de identificar as energias benéficas para o nosso corpo, juntamente com o dissolver e transformar das energias densas em luz dentro de nós, através do perdão.

HO’OPONOPONO

Divino Criador, Pai, Mãe, Filho, todos em Um.
Se eu, minha família, meus parentes e antepassados, ofendemos sua família, parentes e antepassados, em pensamentos, fatos ou ações, desde o início de nossa criação até o presente, nós pedimos o seu perdão.
Deixe que isso se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas. Transmute essas energias indesejáveis em pura luz, e assim é.
Para limpar o meu subconsciente de toda carga emocional
armazenada nele, digo uma e outra vez, durante o meu dia, as palavras chave do HO’OPONOPONO:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Declaro-me em paz com todas as pessoas da Terra e com quem tenho dívidas pendentes.
Por esse instante e em seu tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Eu libero todos aqueles de quem eu acredito estar recebendo danos e maus tratos, porque simplesmente me devolvem o que fiz a eles antes, em alguma vida passada:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Ainda que me seja difícil perdoar alguém, sou eu que pede perdão a esse alguém agora. Por esse instante, em todo o tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Por esse espaço sagrado que habito dia a dia e com o qual não me sinto confortável:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Pelas difíceis relações às quais só guardo lembranças ruins:
Eu sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Por tudo o que não me agrada na minha vida presente, na minha vida passada, no meu trabalho e o que está ao meu redor, Divindade, limpa em mim o que está contribuindo para minha escassez:
Sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Se meu corpo físico experimenta ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor, pronuncio e penso: “Minhas memórias, eu te amo”.
Estou agradecido pela oportunidade de libertar vocês e a mim.
Sinto muito
Me perdoe
Eu te amo
Sou grato
Neste momento, afirmo que te amo.
Penso na minha saúde emocional e na de todos os meus seres amados. Te amo.
Para minhas necessidades e para aprender a esperar sem ansiedade, sem medo, reconheço as minhas memórias aqui neste momento:
Sinto muito, eu te amo.
Minha contribuição para a cura da Terra:
Amada Mãe Terra, que é quem Eu Sou: Se eu, a minha família, os meus parentes e antepassados te maltratamos com pensamentos, palavras, fatos e ações, desde o início da nossa criação até o presente, eu peço o teu perdão.
Deixa que isso se limpe e purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas.
Transmute essas energias indesejáveis em pura luz e assim é.
Para concluir, digo que essa oração é minha porta, minha contribuição à tua saúde emocional, que é a mesma que a minha.
Então esteja bem e, na medida em que vai se curando, eu te digo que:
Eu sinto muito pelas memórias de dor que compartilho com você.
Te peço perdão por unir meu caminho ao seu para a cura, te agradeço por estar aqui em mim.
Eu te amo por ser quem você é.

Michele Martini - 04 de dezembro de 2020.
Fonte: www.pazetransformacao.com.br