segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PERGUNTE AOS MESTRES - 178


CONGREGAÇÃO DE PAZ E TRANSFORMAÇÃO

PURIFICAÇÃO E TRANSMUTAÇÃO

PAZ, LUZ E AMOR.

* Para enviar uma pergunta aos Mestres, acesse o site:http://www.pazetransformacao.com.br/. O formulário permanece disponível somente às segundas-feiras.

COMO CONTROLAR A RAIVA?

Pergunta:

Olá adoráveis Mestres, venho novamente pedir a vocês algumas instruções. Ultimamente minha vida anda meio turbulenta, mas tenho conseguido levar numa boa, certa parte, mas às vezes vem um excesso de raiva que não consigo controlar, e acabo por magoar ou falar coisas que não deveria, às pessoas que estão próximas a mim. Nunca cheguei a agredir ninguém fisicamente, mas minha cabeça fica um turbilhão, às vezes até com minha pequena filha eu faço isso, e ela sendo pequena não tem culpa de nada. O que eu poderia fazer para tentar evitar que isso aconteça? Gratidão por sua ajuda, eu vos amo.

Resposta:

Filho. O fato de perceber e se atentar a esse estado é um grande avanço. Significa que está lutando contra o modo automático e reativo de sua mente. A partir desse estado de observação poderá iniciar o processo de modificação de seu comportamento, apenas respirando e tentando se aquietar. Precisa estar consciente que esses processos reativos não são modificados de um momento para o outro. É preciso cautela e força de vontade em sua própria vigília. Mas esteja consciente que o estado reativo é um estado de medo, daquele que se sente acuado. Se buscar a fundo dentro de ti, verá que há um medo que precisa ser transcendido e purificado. Nesse processo, tenha paciência consigo mesmo. Não se preocupe quanto aos julgamentos que fazem de ti. Apenas tenha perseverança no processo de cura interior. Será normal que tenha recaídas e que em alguns momentos retorne a esse estado de reação. Mas, se persistir em sua própria modificação, verá que cada vez mais esses estados reativos serão modificados, até que chegue um dia em que estará purificado desse estado e a paz te habitará. Esteja em paz.

Sou Kuthumi

PORQUE UM AMIGO, NÃO QUER MAIS SER MEU AMIGO?

Pergunta:

Joaquim de Aruanda, tu não respondeste o que eu realmente queria saber: o que motiva D.L. não querer ser meu amigo? Como, após vidas passadas maravilhosas, juntos, e depois de vocês me dizerem, através de outro canal, que ele se sentia "tão confortável" comigo por causa disso, D.L. diz que não quer uma amizade? E mais, que ilusões eu estou criando? Que "portas" eu fechei? Seja mais específico.

Resposta:

Filho. Leia sua pergunta novamente. Leia e releia. Veja o processo mental que se encontra. Encontre em sua pergunta a resposta. Sabe o que é filho, você está tão fechado pelo ego, que sequer consegue compreender o que lhe dizemos. Está tão preso numa forma de pensamento que acha ser certo, que não consegue entender o que é para ser compreendido. Você se fixou numa ideia. E isso está a ponto de se tornar uma doença em sua vida. Porque simplesmente não se libera desse querer, e aceita a vida como ela é? A vida é feita daquilo que não nos atende também. Ela não precisa ser do jeito que sonhamos. Se pudesse ver essa situação com desapego compreenderia o que lhe foi dito. Mas o fato, filho, é que só aceitará quando lhe dissermos o que quer ouvir. E se é assim podemos lhe dizer, para te contentar, podemos lhe dizer que vocês estão destinados a ficar juntos e você deve lutar para isso. Está feliz assim? Se isso te deixa feliz então está bom. Mas de fato, filho, analise a situação com desapego e deixe ir aquilo que não lhe pertence, ou se lhe pertencer que venha com naturalidade, sem luta, e com paz. Esteja em paz.

Pai Joaquim de Aruanda

SOFRO DE FIBROMIALGIA, É DA CONVIVÊNCIA COM MEU PAI?

Pergunta:

Queridos Mestres, primeiramente quero expressar a minha gratidão por essa oportunidade. A questão que trago hoje é sobre a minha relação com meu pai e a síndrome de fibromialgia que me faz sofrer com dores há 15 anos. Tenho buscado compreender de várias maneiras essa experiência que vivo e tento transmuta-la. Mas às vezes me sinto desanimada, sem forças e até desejo voltar pra casa. A dor constante me impede a independência financeira, e o convívio com o meu pai é ruim. Faço tudo o que posso para ajuda-lo, mas ele sempre me magoa, não consigo ter um dialogo com ele e quando estou feliz ele dá um jeito de estragar o meu dia. Sempre desvaloriza o que eu falo e faço, chego até a pensar que ele é um obsessor na minha vida. Estou cansada de ser tratada com tanta falta de amor e de buscar tanto uma autocura para essa dor e não ver resultados. Mestres o meu pedido é para que possam me explicar, qual lição eu devo aprender nessa vida, tenho condição de me curar? E por que meu pai age assim comigo, e o que eu posso fazer? Gratidão!

Resposta:

Filha. A primeira libertação que virá é da prisão mental que criou a si mesma, o ciclo de sofrimento e dor ao qual se envolveu, pois é dessa forma que vê a sua vida. Como se libertar dessa visão? Você pode perguntar. E eu lhe digo que é resgatando o amor pela vida. Trazendo para dentro de si o sentimento de gratidão e amor por tudo que existe. Mas de forma verdadeira. Sei que se esforça em sentir amor e gratidão por tudo, mas a mente a impede trazendo dores e lembranças com o seu pai. Mas a persistência na sua cura fará com que tenha sucesso nessa jornada. Só há um caminho a seguir: o da meditação e o silenciar da mente. Centre-se em si mesma de forma profunda. Estenda os momentos de meditação. Embale a si no seu colo de amor. Cante para você uma canção e se deixe envolver pelo seu amor. Cuide de si. Você necessita ser amada, e o maior amor que pode receber é de si mesma. Quando fizer o que digo filha, notará um grande impulso de amor tomar conta de ti, assim como o estado de mansuetude que a fará resgatar o amor e o sentimento de paz pela vida. Traga mais momento como esse em seus dias, e verá aos poucos tudo se transformar. O trabalho começa de dentro para fora filha, e por isso até agora não tem obtido sucesso. O amor por si mesmo abrirá as portas do divino em você, e clareará os seus dias.

Do seu irmão Francisco de Assis

COMO POSSO CONECTAR MAIS COM MEU CORAÇÃO?

Pergunta:

Amados Mestres, grata pela oportunidade! Gostaria de saber como posso não me envolver nos dramas que se apresentam diante de mim. Sinto que meu namoro é um resgate de vidas passadas. Embora as coisas estejam muito difíceis, meu coração insiste em querer seguir ao lado dele. Ele sofreu muito em um relacionamento, e tem muita dificuldade de dar e receber amor, de se entregar. Como posso ajudar? Mais uma pergunta: tenho dificuldades em descobrir e viver minha missão, como eu posso conectar mais com meu coração? Grata, amados.

Resposta:

Filha, o primeiro passo que você pode dar em direção à conexão com o seu coração, já foi dado, que é justamente o momento que vive, onde questiona o que é colocado diante de si, percebendo que não ressoa com o coração. Percebe minha querida, que toda mudança nasce no desconforto que aparece naquele que já não ressoa mais com as antigas energias? Você está na caminhada em direção à sua libertação. Perceberá aos poucos que não mais necessita estar ligada a diversos personagens, que já cumpriram o papel na sua história e já estão livres para seguir em novas experiências. O fato de relacionar-se com alguém que reprime os próprios sentimentos, é para que exercite o autoamor. Perceba que não mais é necessário receber amor do lado externo. Acostumará com essa nova estrada de aprendizado onde permanecerá a agregar sabedoria a cada novo passo. Perceba as transformações que ocorrem consigo, dentro do seu coração, e torne-se a espectadora da sua própria vida, a sentir e observar as suas próprias reações diante de situações que já não mais a alcançam. Você se fortalecerá diante dessas experiências. E quando não mais necessitar vivê-las, as transcenderá, crescendo ainda mais em sua mestria.

Sou Pórtia

Canais: Thiago Strapasson e Michele Martini – Dezembro de 2017.
Colaboração: Ilza Barreto.
Fonte: www.pazetransformacao.com.br