sábado, 8 de julho de 2017

3. Como trazer mais serenidade em meio ao ambiente de agitação?




A primeira pergunta deveria ser: como trazer mais serenidade ao seu próprio ambiente interno de agitação?

Essa pergunta sim, é a primeira que deve ser trazida por aquele que de fato quer ver o meio onde vive mais sereno, mais em paz.

A paz interior é irradiada ao externo apenas quando temos dentro de nós a paz estabelecida. Se você estiver em um retiro religioso de meditação, onde há apenas silêncio, plantas, canto dos pássaros, aromas agradáveis, ainda assim você não verá paz nesse ambiente se ela não tiver morada dentro de si mesmo.

Muitos se iludem ao pensar que umas breves férias resolveriam todos os problemas, um retiro do silêncio ou quaisquer retiros espirituais também resolveriam. Mas de fato, essas fugas provisórias dos ambientes de agitação não o levam à paz, pois vocês levam junto consigo, eu seu interior, a agitação. E ela irá contigo para onde for. Até que decida olhar para dentro de si mesmo e trabalhar pela paz interior.

Então vamos focar na pergunta que deveria ser como trazer serenidade ao ambiente interior de agitação. Essa pergunta é complexa, pois cada um pode trazer a paz interior de forma diferente, alguns trazem apenas silenciando a mente, outros encontram essa paz enquanto a mente está ocupada de afazeres, e então esses afazeres surtem como uma terapia, onde a pessoa mantém os seus sentidos físicos ocupados para deixar a mente só e em silêncio.

Vocês compreendem os momentos de paz como momentos de completo silencio, mas na verdade, mesmo em ambientes de completo silencio ainda é possível que não se encontre a paz. E essa é a grande dificuldade daqueles que começam a meditar.

Muitos pensam que aqueles que meditam por muitos minutos ou por horas, permanecem o tempo todo em estado meditativo. Mas a verdade é que 90% desse tempo é apenas tomado pela luta entre o silencio e o agitar da mente. E apenas 10% é o deleite, a apreciação da completa paz interior.

A cada momento em que decide meditar, a mente estará repleta de pensamentos e ideias, que devem ser todas aceitas, analisadas, observadas. Para então chegar sozinho a compreensão de que não é analisando os detalhes daquele pensamento que ele sumirá de sua mente. E então nesse momento você se perceberá como um tolo. Como perdeu tanto tempo com isso? Para onde essas divagações todas vão me levar? A que conclusão quero chegar?

Vocês chegam em um ponto onde já é insuportável pensar, e a sede do silencio apenas cresce. Vocês passam a necessitar do silencio da mente. E então é quando jogam as armas. Deixam cair todas as certezas, as conclusões, as dúvidas, os pensamentos diversos de raiva, revolta, tudo. Deixam tudo cair, para dar lugar ao vazio completo.

Esse vazio completo é a sua entrega a Deus. A sua abertura ao divino. Quando você escolhe abrir as portas do seu coração para receber um momento de paz. Que é sentido de forma instantânea. E você se delicia com esse breve momento. Que foi tão difícil de alcançar, mas que também será breve. Pois logo a sua mente insegura começa a se questionar do que seria essa sensação. E você é tomado pelo medo de que esse momento se acabe. Mas ainda não percebeu como o jogo funciona.

Ainda não percebeu que, quando a mente está completamente vazia e entregue a Deus, quando você abre o coração a sentir essa paz. Você é Um com Deus, e por isso é criador da sua realidade. Quando você permite que nasça nesse momento um pensamento de medo. Mesmo que seja o pensamento de medo de que esse momento acabe. Ele irá acabar imediatamente.

Pois o próprio pensamento de medo acabou por interromper o seu estado de paz.

Você não percebe que tudo isso ocorre de forma instantânea e automática. E então continua a tentativa de conectar-se novamente a essa sensação de paz. Mas a mente novamente enche-se de informações, e você não mais consegue repetir a sensação naquele momento. Você mesmo interrompeu o seu processo criativo de paz para a sua própria vida.

Então eu proponho um exercício.

Quando entrar em um momento de paz e abertura do coração, quando perceber que atingiu esse ápice. Simplesmente visualize o seu coração aberto, irradiando essa paz em todo o seu corpo, e expandindo ao seu ambiente externo.

Expanda e irradie essa paz onde você estiver, e projete em pensamento essa paz também a ser irradiada nos outros ambientes que necessitam dessa paz. Irradie a paz para o planeta, para o universo. E então sim, se chegar o momento em que os pensamentos novamente tomarem conta de sua mente trazendo o medo, encerre em paz.

Mas saiba que você contribuiu para a irradiação da paz em seu meio. E apenas dessa forma é que o meio onde gostaria de ver a paz manifestada, de fato terá a paz que poderá ser sentida por você.

Você sabe que está conectado à mente, e ao medo. Sabe que tem restrições a serem trabalhadas, e que os instantes de paz e plenitude são breves, mas agora tem um ambiente irradiado em paz para passar as próximas horas. Até que novamente silencie e atinja novamente esse estado de paz, e repita o processo.

Esse é um exercício que, na medida que é feito de forma repetida, cria novas programações e novas realidades não apenas em si, mas também em seu meio e nos locais para onde irradiou essa energia.

Você sabe que luz atrai luz, que um ambiente irradiado de paz contagia todos naquele meio, e que gradativamente eles também passarão a irradiar essa luz. E assim você cria a nova realidade. Cria o ambiente de paz para você e para o planeta.

Isso será refletido em suas relações, nas suas decisões, na sua rotina.

Michele Martini
Fonte: www.pazetransformacao.com.br