sexta-feira, 28 de julho de 2017

20. Como receber essa energia, que será o meu remédio?


Conforme você libera o fluxo de energia que era armazenada para o seu próprio sofrimento e ciclo de repetições de padrões, você dá lugar para a entrada de energias divergentes dessas que anteriormente se identificava.


A cada novo passo na liberação de suas antigas restrições, de padrões repetidos de comportamentos, você vai criando novas formas de se ajustar ao meio onde vive. Vai adaptando os seus hábitos. Quanto mais libera antigas formas de pensar, de fazer as atividades diárias na sua vida, de viver a sua rotina, você abre espaço para que viva de forma que nunca poderia imaginar. Aquela que somente poderia ser trazida pelo despertar da nova era.



Na medida que o despertar é uma realidade em você, ele começa a repercutir em seus hábitos, em sua vida cotidiana, e isso faz com que esses novos espaços que abriu para a entrada da sua verdade dentro de você, sejam a energia que fará com que consiga transpassar outros velhos hábitos mais difíceis de soltar.



Você era acostumado a levar a vida de uma forma, a buscar concordância em suas ações, daqueles do meio onde vive. Era aquele que tinha que ser aceito e mostrar que está no caminho certo conforme padrões estabelecidos por você mesmo. Pois não adianta culpar o sistema pensando que você seguia padrões estabelecidos pelo sistema. Mas já sabemos agora que os padrões e sistemas são construídos pelas formas pensamento gerada por vocês mesmos.



E isso faz com que nos voltemos para dentro de nós, a observar o nosso papel diante do todo que ocorre em nossa vida e no ambiente externo. E a cada pequeno despertar de compreensão, a cada momento singelo de aceitação de novas verdades, que são inseridas gradativamente em nós, vamos compreendendo que não há mais morada para a velha energia que habitava em nós. E há sim um espaço vazio, a ser preenchido com a essência divina que há em nós, que sempre esteve ali, mas que não era alimentada pelo estado de vazio. Não dávamos espaço para que ela crescesse dentro de nós, pois preenchíamos todo o nosso Eu de informações preconcebidas a respeito de todas as coisas que se apresentam, a respeito de nós mesmos e da nossa própria vida.



Quando despertamos para o fato de que tudo o que carregávamos como certeza não era mais do que ilusões provisórias de uma mente condicionada, começamos a abrir espaço para a entrada da nova energia que esteve sempre ali, mas que não conseguia respirar dentro de nós.



Precisamos dar espaço para que a verdade se manifeste, através da compreensão e aceitação, afirmação, para nós mesmos, de que somos o que somos. Independentemente do que já fomos ou do que sonhávamos ser para nos ajudar a um meio pré-existente. Mas passamos a aceitar que somos apenas a verdade que mora em cada um de nós, e que será revelada a partir do momento em que abandonarmos aquelas roupagens que carregávamos e as máscaras que vestíamos ao caminhar pelas nossas experiências.



O fato é que seremos provocados a afirmar que não precisamos mais da aceitação, nem de nós mesmos, nem dos outros, para sermos apenas o estado de vazio de consciência que ouve apenas a sua intuição.



O meio onde vivemos, o planeta no estágio atual, não está preparado a compreender que uma mente desperta não necessita de planejamento, que leva a vida apenas conduzido pela energia a qual é mais afinado. Que ouve apenas a sua intuição e leva a vida livre e solto conduzido apenas ao acaso do que se apresentar. Aceitando e abençoando sempre.



O estado de gratidão que é incorporado no ser quando desperta para essa realidade, é incomparável aquele sentimento de gratidão que é buscado apenas pela mente. Aquele estado de gratidão que tínhamos quando não éramos abertos a nossa verdade interior, era algo criado pela mente, era uma cobrança de si mesmo para seguir padrões aceitos.



O homem que é maltratado pelo seu inimigo, não pode odiá-lo. Ele deve alimentar o estado de gratidão e acaba por criar a gratidão no seu plano mental. Que é nada mais que uma nova prisão. Um novo estado de programação mental ao qual se insere. Ele condena o sentimento de ódio, ele cria mentalmente o sentimento de gratidão, mas não o estado consciencial de gratidão.



O que criamos no plano mental são cobranças, geralmente direcionadas a nós mesmos, para seguirmos certos padrões aceitos diante daquilo que aprendemos como certo e errado. Carregamos os padrões de certo e errado, e os alimentamos criando mais padrões em nós de aceitar e abaixar as nossas cabeças diante do nosso próprio sofrimento. Nos fechando em nossos sentimentos e deixando de florir a verdade da nossa alma.



Fechamos e deixamos guardado dentro de nossos corações os rancores, as mágoas, as raivas, e elas vão obstruindo a passagem da energia doce e leve da verdade interior, que quer se manifestar.



A manifestação da verdade interior acaba por se dar em momentos de catarse. Onde observamos doenças, dores, crises de ansiedade, stress, e todo o tipo de desequilíbrio do corpo físico e campo mental e espiritual, que se manifesta porque a luz interior quer sair e desabrochar. E há um choque de energias, daquilo que você criou como padrões e cobranças a si mesmo, em comparação com a sua verdade interior que contraria a tudo isso.



É a partir do momento de aceitação das suas próprias imperfeições, que faz a limpeza do vaso onde será plantada a flor que irá desabrochar. A flor da sua verdade. A limpeza do vaso é necessária, pois a energia pura precisa crescer, irradiar dentro de você.



Esse processo é como o do crescimento do corpo humano. Se observar um bebe quando nasce. Não há como conter o seu crescimento, prendê-lo dentro de uma caixa e dizer-lhe: “Você terá sempre esse tamanho de bebê, impeço-o de crescer! ”. Percebem como realmente é impossível?



O processo de desabrochar da luz interior, da expansão de energia da sua verdade plena do Eu Sou, é algo que está como um bebê dentro de você, e não existe outro caminho que não seja o da sua expansão. Você tenta o trancar e fechar em um espaço pequeno, preenchendo toda a sua vida de ilusões, padrões e comportamentos predeterminados. Mas a energia da verdade mesmo assim crescerá, e fará o que for necessário para expandir.



Para abrir espaço em meio a esse ambiente completamente cheio de formas pensamento e padrões, a energia da luz interior trabalha para expulsar, eliminar, transcender, dissolver toda e qualquer outra energia que esteja a ocupar o espaço interno do seu Eu Interior. Vai removendo tudo, e isso acaba por se manifestar em todas as experiências que temos em nossas vidas. Desde experiências de alegria, como de sofrimento, de ganhos e perdas, muito mais de perdas do que de ganhos. Pois o espaço precisa estar vazio.



A ilusão está em pensar que o espaço assim que vazio precisa ser preenchido, que ele será imediatamente preenchido com uma graça, com uma luz, com uma bênção. Vocês pensam: “Agora estou seguindo o caminho da luz, então vou começar a receber graças divinas, vou conseguir um emprego novo, um carro, dinheiro, etc”



Mas o que não compreendem é que enquanto estiverem a alimentar essas necessidades dentro de vocês, estão a criar mais padrões e formas pensamentos, necessidades ilusórias da matéria de que necessitam disso ou daquilo para serem felizes. Não se soltaram completamente ao acaso, ao vazio, com fé e confiança.



A vida então os levará a esvaziar essa forma de pensar, e podem vir a pensar que vivem na escassez. Então começa novamente a ser criada uma forma pensamento.



Compreendam que todo o processo da vida, toda a sua história, está resumida em esvaziar. A partir desse estado de compreensão e da aceitação do estado de esvaziamento, poderão deixar a luz interna se expandir. A energia da sua verdade Eu Sou crescer e tomar conta de todo o seu corpo, a trazer saúde, paz, equilíbrio, mansuetude. Então continua a se expandir a irradiar tudo o que faz parte da sua vida.



É um ciclo natural, como o do crescimento de um ser, não há outro caminho que não seja o de esvaziar-se para que a energia se expanda.

Michele Martini
Fonte: www.pazetransformacao.com.br