quarta-feira, 5 de abril de 2017

O verdadeiro caminho da libertação da alma – Mãe Maria




Recomendamos ler ao som de Schubert - Ave Maria

Que as bênçãos do amor tragam paz aos seus corpos, mentes e corações.

Vocês sabem, meus filhos, das dores que os afligem no trajeto. Mas sabem também que aquele que trabalha para a luz, encontra em si mesmo a força do caminhar, encontra no afeto que distribui, no sorriso que se abre, o próprio ar que respira e torna isso a benção maior de sua vida.

E no caminho à libertação chegam em um momento de sua própria evolução em que a matéria se torna dura, áspera, rude. Nesse momento vocês olham ao lado e já não se deslumbram com tudo aquilo que ela os oferece. Passam a buscar algo além do que lhe ensinaram e começam a se abrir a realidade maiores.

Pensam, nesse dia, terem encontrado o real propósito da vida, que não é mais compreendida como algo que resultará em construir aquilo que os engrandeça e passam a buscar por sua própria libertação, tentando trazer isso a todos aqueles ao seu redor. Abrem-se ao propósito de auxílio àqueles que ainda não se abriram à verdadeira função da matéria em suas vidas, tentando lhes ensinar o caminho do amor, tentando os mostrar o caminho que trilharam e descobriram com seu próprio sofrimento, com seu suor e lágrimas de solidão. Acreditam que têm algo a passar adiante na tentativa de mostrar a todos o trajeto da iluminação.

Pois quantos são aqueles que encontram na matéria o único caminho a seguirem, que buscam pela riqueza física, pelo bem-estar, acreditam que a matéria os trará amor, felicidade, e tudo o que sempre buscaram para se tornarem plenos. São aqueles que não veem esperanças de suas vidas melhorarem se não for pela sedução da vida material. Vocês descobrem que esses se enganam, meus filhos, pois já sabem que o caminho da busca do preenchimento material sempre os conduzirá ao vazio da alma.

E nesse momento gostariam de compartilhar desse conhecimento a todos. E fazem isso criando um novo propósito à vida: dividir, auxiliar, doar aquilo que não tem para ajudar os carentes da maior riqueza que possuem, pois pensam terem se aberto à verdade maior da vida e que o seu propósito passará a ser de aprendiz a mestres da própria vida. 

Sei que muitos de vocês ainda têm uma visão turva sobre a verdadeira felicidade. Carregam a crença de que a felicidade somente poderá ser alcançada quando a vida se torna o propósito de auxílio, onde já não interessa o caminho que a matéria os conduzirá, mas sim os corações que foram capazes de atingir e elevar no meio material.

Vocês tornam esse o propósito maior de suas vidas e começam a perceber que ainda há algo a ser aprendido. Que antes mesmo do propósito de levar a sabedoria e o amor em caridade ao próximo, há a própria estrada que vão construindo para que possa ser trafegada por tantos milhares de pessoas. 

Essa descoberta é a própria liberação, daquele fardo pesado que carregam e que é consequência de um passado vivido de tantos erros, que os faz pensarem que estão em débito com o planeta, com seus irmãos. Mas só permitem se soltar desse compromisso a partir do momento que incorporam em suas vidas a compreensão de que o que mais importa é a caminhada e a estrada que deixam no caminho após passarem por ela, a ser trilhada por aqueles que decidirem buscar a si mesmos.

Nesse ponto, filhos, não possuem mais o compromisso com o planeta, com seus irmãos e tornam a sua caminhada o compromisso maior com Deus e com toda a unidade. Esse sentimento faz com que vocês se tornem plenos nesse caminho. Vocês passam a compreender o valor da riqueza espiritual, da própria elevação em detrimento a tudo o que veem ao seu redor.

Por isso os digo, meus amados, que somente encontrarão a verdadeira felicidade, a que é eterna, quando se desprenderem de tudo aquilo que os restringe e os mantém vinculados ao mundo material. A matéria a que me refiro não é só o pensamento de que a felicidade é obtida no caminhar pela prosperidade material, mas também a todos aqueles compromissos que carregam em seus corações com seus irmãos, com o planeta, com tudo aquilo que acreditam.

O libertar-se é pleno, solto, livre, já não carrega compromisso senão com o amor que irradia do peito e transborda pela leveza da vida. Percebam, filhos, que são vocês mesmos que se prendem a essa realidade, ao incorporarem todos os valores que lhes foram transmitidos, como se essa fosse a verdade maior da vida.

Eu lhes digo de todo coração, meus amados, porque eu estive entre vocês, que no mundo material, a verdadeira felicidade é encontrada quando nos desprendemos de tudo.

E a única coisa que é capaz de alimentar os nossos corações é o doar de nossas energias àqueles que nos procuram, deixando a estrada construída para ser trilhada na medida do livre arbítrio de cada um.

Eis aí a grande tarefa de cada um, a de obter a liberdade a ponto da única verdade ser a própria busca que proporcionará a libertação de todos.

Vocês se tornam libertos de tudo de tal forma, que nada mais importará além da felicidade e união daqueles que os procuram de forma solta e leve, a trilhar a mesma estrada, aquela de luz que deixaste pelo caminhar dessa vida. 

Essa é a felicidade eterna, que não substitui absolutamente nada que a matéria possa nos proporcionar, pois essa é a liberdade da alma, a de caminhar simplesmente com o propósito de deixar o rastro de luz, o exemplo da vida levada de forma leve e intensa, mas na medida do equilíbrio que apenas é obtido com o total desapego da expectativa do resultado e do retorno material.

O ato de servir e se doar àqueles que cruzarem o caminho sem mesmo desviar-se do seu próprio caminho de evolução. Eis o caminho que os liberta e os conduz a unidade do amor.

Assim eu os aguardo, filhos meus, livres, soltos, destituídos de todo e qualquer compromisso inclusive com essa Mãe que os fala nesse momento a os cobrir sob o manto dourado de proteção e amor.

Pois a minha proteção é simplesmente de amor, não exige nada de cada um de vocês, ela os respeita para que sigam o caminho que os leva as lições da vida. E assim devem tratar a todos os seus irmãos, com liberdade para que sejam aquilo que seus corações os pedirem, pois ao assim fazerem estarão verdadeiramente a se libertar das amarras da matéria, retornando com alegria aos meus braços que sempre esteve a os amparar com amor, mas acima de tudo com liberdade.

Eu os abençoo nesse momento, meus filhos, porque Sou Maria sua mãezinha.

Canais: Michele Martini e Thiago Strapasson – 04 de abril de 2017.

Fonte: www.pazetransformacao.com.br