quarta-feira, 15 de março de 2017

Quem sou eu? - Michele Martini




Recomendo esse vídeo: Documentário "Higher Self"



Após buscar ser tantas identidades nessa vida. Vida curta mas longa de sofrimento e caminhos errados que tomei. Mas que, pelo que aprendo dos mestres, não há caminho errado. Tudo bem...

Nesse pensamento venho a lembrar quantas Michele's já fui. Já fui Michele filha, Michele irmã, Michele esposa (ops quase esposa), Michele namorada, Michele noiva, Michele designer, Michele reikiana, Michele médium. Michele. Michelinha, Chele....



hahaha tantos adjetivos....

Será que hoje eu me encaixo em algum deles? Eu gostaria de pertencer a algum deles? Hummm... começo a perceber que a caminhada da vida sem adjetivos é tão melhor. É mais livre e leve.

A Michele que também é a Michelinha, que vocês conhecem como canalizadora da Grande Fraternidade Branca, chela da Mestra Pórtia.... a Michelinha que tinha medo de mostrar a todos que era a Michele. Aquela que queria ficar escondida no anonimato sem divulgar o trabalho que recebia de canalização.

Pois como sabem.... a Michele namorada, ex esposa, funcionaria de uma grande empresa, colega de trabalho, filha, irmã, cunhada... é diferente daquela que estava surgindo com o apelido de Michelinha.

E o medo da repulsa interior, existia? Ah sim! A Michelinha queria um espaço para que ela pudesse surgir. Surgir sem culpa, sem passado e sem julgamentos. Não julgamentos dos outros, mas sim dela mesma.

Ela queria um novo recomeço. Não queria lembrar quem era. Não queria lembrar dos próprios defeitos ou das restrições.

Mas o que aconteceu foi que a Michelinha foi surgindo e foi se incorporando à Michele. Aquela médium mal resolvida que não servia para incorporar direito mas que psicografava bem, mas não aquilo que queriam que ela psicografasse. Aquela que estava sempre buscando um lugar para se encaixar mas não encontrava.

Aquela que era intempestiva, que era dura com algumas pessoas ao falar pois gostaria de ficar sempre solitária. Essa era a Michele que foi incorporando a Michelinha. Michelinha que foi construída na base do sofrimento e da dor. No sistema dos mestres. Como uma cobaia, como eu digo. A cobaia a sentir todas as dores da transformação, e que surge a partir das cinzas daquele Eu que não tinha uma verdadeira identidade: aquele Eu que eram vários personagens mas que não era nenhum: e que não encontrava um lugar.

Ainda não posso dizer que encontrei o caminho final. Sei que tanta coisa na vida vai mudar. Mas sim aprendi a unir a minha caminhada ao acaso da consciência. Aprendi a permitir que a consciência guie a minha vida e me mostre o caminho. O caminho da paz e da plenitude.

E dessa forma a Michele que é a Michelinha vai seguindo um dia após o outro. Tentando ser designer. Tentando ser escritora e tentando ser canalizadora, mas permitindo que cada coisa na vida seja apresentada no momento certo.

Essa personagem que surge, não é a Michele ou a Michelinha. Mas como preciso colocar um nome para ser identificada, então que seja aquele que está no meu documento de identidade, pois afinal estou encarnada. Mas não me considero Michele, pois já não mais quero pertencer a alguma identidade e sim ao acaso que a vida reserva e abraçando o que será trazido a mim.

Essa liberdade vem juntamente com uma paz e o abandono da ansiedade. Incorporo o viver no momento presente, e não sei dizer o que será do amanhã. Mas sei que as lições que são trazidas hoje precisam ser olhadas e aproveitadas hoje, pois amanhã a vida mostrará sempre um novo caminho. Que se abrirá para levar o novo Eu ao meu verdadeiro propósito. E eu aceito de coração aberto e incorporo o Eu Sou, que está a se manifestar agora, mesmo durante a minha descoberta. Percebo que o Eu Sou é revelado muito antes de conseguirmos compreender como poderemos um dia nos tornar Ele. Mas vejo que isso ocorre de forma gradativa e que só precisamos permanecer abertos e conectarmos ao presente e às experiências que se apresentam para permitir que a transformação ocorra de forma gradual.

Assino embaixo com meu nome, mas já não sei qual ele é, por hora vamos manter como está e seguimos em frente aguardando que a vida apresente os próximos passos.

Michele Martini - 15 de março de 2017

Fonte: http://www.pazetransformacao.com.br/