quinta-feira, 14 de abril de 2016

A Dissolução da Dor das Eras / O Sentimento de Superioridade – Mestre Serapis Bey




Amados Irmãos,

Ao longo das eras muito foi vivenciado, muitas dores, muitas lutas, muitos desafios que os atingiram no âmago de seu ser. São dores que trazem junto de si para limpar, vivenciar e liberar.


Tudo isso causa grande confusão em seus seres, pois vocês trazem experiências que os levam a emoções incompreensíveis nessa vida. Algumas experiências funcionam como “gatilhos” a trazer a energia de antigas eras até vocês. Então, em simples experiências dos seus dias, vocês acabam por vivenciar dores profundas da sua alma, que sua mente racional não é capaz de auxiliá-los à compreensão. A resposta a essas dores estará em seu coração, em sua alma.

Isso se dá, principalmente, a vocês, Trabalhadores, Portadores, Ancoradores da Luz, pois vocês sempre foram atraídos a situações densas, onde adentravam a esses ambientes familiares e sociais com a função de dissolver a densidade e substituir por um novo modo mais iluminado. Mas, nem sempre foram exitosos nesse propósito, pois vocês adentravam nesses ambientes e, muitas vezes, eles os envolviam, forçando-os a perder sua naturalidade. Vocês adentravam num personagem e assumiam essa persona contrária ao seu ser. Isso os causou muitas dores, duros enfrentamentos.

Mas, muitas vezes, e, na maioria delas, vocês foram extremamente exitosos, pois a “falha” em uma situação era o que o levava ao êxito em inúmeras outras. Pois ali havia um aprendizado anterior a os sustentar.

E foram assim, vivenciando essas experiências, que muitas vezes se apresenta nesse agora como dores profundas, como ilusões de outras eras que estavam gravadas em sua alma. Como algo que simplesmente os tira de seu centro a os desviar do caminho do Coração, sem uma explicação lógica para tanto.

Mas, muitas vezes, essas dores profundas os conduzem a comportamentos menos elevados, onde na tentativa de se elevarem, de mostrarem que superaram aquela dor, vocês, inconscientemente, se apresentam numa posição de superioridade. Mas, aí, sempre haverá uma dor da alma a ser enfrentada e jamais uma razão para tentarem se manifestar em superioridade a quem quer que seja.
Quando essa dor os abate, vocês precisam vivenciá-la. Vocês a sentem, aceitam e vão, num dia após o outro, superando esses traumas interiores que ficaram marcados em seus corpos. Então, vocês trombam com esses “gatilhos” que novamente os desperta à vivência interior dessas antigas energias acumuladas, mas se colocam numa posição de respeito à Divindade de todos aqueles que passam por esse mesmo processo interior.

Sabe, Meus Filhos, ao nos olharmos interiormente, ao sentirmos nossas fraquezas, não há qualquer necessidade de nos colocarmos em um posição de superioridade. Essa é uma tentativa vã de abafar nossa dor e não permitir que transpareça numa forma de fraqueza interior. Aos nos colocarmos numa posição de superioridade, em verdade, estamos transparecendo nossos medos mais profundos. Essa tentativa irá criar novamente uma rejeição aos nossos seres e acentuar nossa própria dor interior, evidenciando aquilo que permanece em nossa alma, mas que tentamos abafá-la com uma manifestação, muitas vezes, de arrogância.

Mas, se ao contrário, nós vivenciamos essas experiências e nos colocamos numa posição de igualdade, sabendo que há uma dor naquele nosso irmão que também o tira do estado de perfeição, nós sentimos e, sem medo, vamos trabalhando essas energias em nosso interior, com humildade, reconhecendo a Divindade em cada ser humano.

Então, o amor de Deus nos envolve, possibilitando a compreensão e gentileza, nos colocando a par daquilo que, em nós, precisa ser ajustado para uma frequência verdadeira e alinhada com o que nós realmente somos.

Em um lugar que não precisamos mais ir adiante com uma “chamativa” a nós, como se “Ei, olhem para mim, eu estou aqui”, mas que isso seja de forma natural, pela Luz que irradia de nós e, sem nenhuma pretensão de ser mais do que na realidade todos somos na mesma linha, no mesmo grau.

E que a dor, a dor de eras, a dor dos tempos seja dissolvida na simplicidade de, simplesmente, exercer nosso papel como seres de ancoramento. Sem mais, nem menos, porque esse é o caminho. Porque esse é o caminho.

Eu sou Serapis Bey e venho até aqui hoje, porque honro a cada um de vocês, respeitando-os e amando-os por absolutamente tudo que representam.

Que o amor de Deus esteja sempre em seus corações.

Serapis Bey

Canal: Thiago Strapasson e Gabriel Raio Lunar – 14/Abril/2016

Revisão: Angelica T. Tosta

Fonte: http://coracaoavatar.blog.br/