quarta-feira, 28 de junho de 2017

Conceitos espirituais iniciais


Queridos irmãos,

Abrimos esse espaço para trazer conhecimentos básicos para aqueles que se abrem ou estão se abrindo a conceitos espirituais mais amplos. A ideia inicial seria trazer elementos para aqueles que, sentindo o chamado de seus corações, queiram se aprofundar, através das mensagens ou livros, na sabedoria amorosa dos seres de luz.

Não temos a pretensão de esgotar conceitos, quanto menos de ser a única verdade, mas sim trazer elementos que possam levar a um direcionamento àqueles que chegam, a se abrir à sua própria luz interior.

Esse material será atualizado e ampliado sempre que possível. Por ora esperamos que apreciem.

Gratidão a todos


O que é a fraternidade branca de mestres?
A grande fraternidade branca é uma congregação de irmãos, cujo propósito de permanecerem vinculados ao planeta, é de ancorar luz a humanidade, auxiliando e guiando seu processo de evolução.

Quem são seus membros?
Seus membros são os seres, encarnados ou não, em todo o cosmo, que têm o propósito comum de manter radiante a luz e o brilho nos corações dos homens e mulheres, cuidando de sua evolução, para que resplandeçam cristalinos, puros e livres a encontrarem a felicidade e irmandade na Terra.

Quais são as atribuições da grande fraternidade branca?
A grande fraternidade branca é uma egrégora de irmãos cujo objetivo é manter acesa a luz de Deus que cada ser humano guarda em seu coração. Esse trabalho é feito através da divulgação e irradiação do amor fraterno de Deus.
Ao lado desse ancoramento energético, onde o amor em sua mais alta vibração é flamejado para o bem de toda a humanidade, os Mestres vinculados à Grande Fraternidade acompanham a expansão e evolução do coeficiente de luz que mantém radiante o projeto no qual as almas da Terra experimentam a vida nesse lindo planeta.
Nesse trabalho existem egrégoras específicas, que são as casas dispensadoras, que recebem atribuições específicas dentro desse grande projeto que é a manutenção da vida na Terra. Cada uma desses egrégoras trabalha incessantemente a favor da humanidade, desencarnada e encarnada, para que cada membro, dentro de seus limites, desperte para potenciais superiores de amor e iluminação.
A Grande fraternidade, com a ajuda de outras egrégoras que mantém em andamento o trabalho de luz e amor junto ao planeta, é o centro mantenedor da irradiação da mais pura e cristalina luz crística, que banha a humanidade desde tempos remotos. A luz crística, é o combustível que aglutina as experiências terrestres em amor e sabedoria, para que, da purificação progressiva de seus membros, o planeta aumente o coeficiente de luz, rumo à ascensão global, para um mundo de regeneração de seus membros, que estão a despertar para sua verdade cósmica.

Não são apenas os mestres ascensos que pertencem à Grande Fraternidade Branca?
Jamais poderia, pois se assim fosse não haveria o propósito de unidade a ser disseminado entre a humanidade. O que se dá é que um grupo de almas experimentadas, que transcenderam suas próprias restrições a partir da experiência terrestre, diluindo-se e se reintegrando ao amor de Deus, decidiram por permanecer vinculados a esse projeto com o intuito de auxiliar a humanidade em seu processo de ressurreição.
Esse grupo, na sua totalidade, é formado por almas que se inseriram nesse projeto de evolução coletiva e que, apesar de livre a seguir seu caminho de evolução, decidem por se manter como pilares de luz a irradiar toda a humanidade, ancorar o amor de Deus e a energia crística entre os homens e mulheres de todo o planeta.
É um grupo que atua a favor do amor, com paciência e resignação, mantendo a luz para que a humanidade encontre o caminho de sua evolução, a partir de sua própria luz interior. Esses seres, que a partir de sua evolução se desprenderam da grade planetária, são conhecidos como mestres ascensos. Mas podem ser conhecidos apenas como irmãos de luz e amor, e nada mais.

O que significam os raios irradiados pelas casas dispensadoras de luz à humanidade?
Queridos, a todo momento a grande fraternidade ancora luz. Esse é seu propósito como já foi dito: ancorar luz ao planeta. Assim é que esse ancoramento é realizado de acordo com a energia essencial do grupo de almas ascensas que, após transcenderem em sua própria luz, continuam a desempenhar seu propósito assumido em grupos de seres afins.
Assim é que, em dias específicos da semana, em seu tempo linear, as casas dispensadoras auxiliam de forma mais incisiva a evolução da humanidade. Todos os membros estão a todo tempo nesse trabalho de ancoramento, porém, essa energia primordial neutra ancorada é trabalhada em um de seus aspectos em dias ou situações específicas.
A força de luz primordial é neutra, pura, sem polos, porém uma das funções das casas dispensadoras, que são egrégoras de grupos afins, atuam a cuidar da evolução da humanidade em aspectos específicos que essa luz primordial traz à humanidade. Assim é que a força e fé é trabalhada aos domingos, logo no início da semana. No segundo dia semanal o amor, para que essa força seja equilibrada e dosada pela comunhão. No terceiro dia semanal, e humanidade é irradiada pela sabedoria, que aglutina a força ao amor. No quarto dia entra em campo o grupo ascensional, que após o trabalho dos primeiros dias, encontra melhores condições de trabalhar a paz e purificação entre a humanidade. No quinto dia sentirão forte processo de catarse, onde então o ponto verde atuará na cura de todos aqueles que se abrem de coração ao processo de sua própria iluminação. No sexto dia semanal, a paixão e a devoção à criação é ancorada para que então, no sétimo dia semanal, os mestres do grupo de transmutação tenham elementos para a transformação de toda a liberação e cura realizada de toda a semana. Esse processo é feito com paciência, resignação e sempre mantendo o amor a todos, para que naturalmente a transformação da humanidade ocorra em seu tempo, no tempo de seu próprio amadurecimento.

Isso significa que nos demais dias as demais casas dispensadoras não trabalham?
Não, apenas nesses dias semanais há maior possibilidade de se trabalhar aspectos específicos, mas o trabalho nos reinos ascensos é progressivo e incansável.
Enquanto houver uma única lágrima entre os homens, esse grupo estará a trabalhar para acalentar os corações necessitados de um sopro de luz.

O que significam os cargos da grande fraternidade branca?
A espiritualidade atua de forma organizada. Cada irmão encontra em seu coração o propósito de trabalhar ao todo e assim o faz diariamente com perseverança e amor. Alguns irmãos, no entanto, em razão da luz que são capazes de ancorar por si sós, ocupam posições essenciais dentro desse conjunto de consciências que atuam em favor da humanidade.
A fraternidade atua em unidade de corações, nenhum membro desempenha qualquer função sem que ela esteja prevalente em seu coração, e que tenha por função auxiliar a humanidade em sua própria evolução. Cada coração é posto em unidade nesse propósito comum, e encontra sua função, porque a força primordial é perfeita em seu propósito e assim faz seus filhos.
Mas há irmãos que desempenham funções essenciais entre a grande fraternidade branca, são eles:
Lord Gautama que por sua sabedoria auxilia todos os demais membros em seu propósito.
Mestres Jesus, Mestra Maria Madalena, Mestre Kuthumi e Mestra Clara como instrutores da humanidade. Acompanham os desígnios da humanidade em seu trajeto de luz.
Lord Maitreya e Lady Kuan Yin como Budas cósmicos. Ancoram a energia crística à humanidade, irradiam o perdão, a compaixão e o mais puro amor primordial a toda a humanidade.
Maha Chohan no centro de auxílio das casas dispensadoras.
Mestres El Morya e Mirian como Chohans do raio azul da força e fé.
Mestres Rowena e Paulo Veneziano, como Chohans do Raio Rosa do amor.
Mestres Lanto e Confúcio, como Chohans do raio dourado da sabedoria.
Mestres Serapis Bey e Lis como Chohans do raio branco da paz.
Mestre Hilarion como Chohan do raio Verde.
Mestra Nada, como Chohan do raio rubi da devoção.
Mestres Saint Germain e Mestra Pórtia, atuam como chohans do sétimo raio da chama violeta.

O que significa ser um iniciado ou discípulo da Grande Fraternidade Branca?
Todos aqueles que se abrirem de coração a sua própria evolução no auxílio da humanidade são iniciados e comungam do propósito da grande fraternidade de mestres. Ser um discípulo, portanto, diz sobre seu estado de amor, sobre a amplitude de sua alma.
Mas a relação Mestre - discípulo é uma ilusão, pois assim como o filho tem muito a ensinar aos pais, o mestre tem muito o que aprender com o discípulo. O mestre não ensina nada ao discípulo, mas ele apenas aguarda que as energias estejam num estado de vibração semelhante a permitir a fusão em amor. Nada diz sobre sua roupa, sobre o local que vive ou sobre onde frequenta. Mas sim com o estado vibracional de proximidade de propósitos, a permitir a total diluição sem apego, em aceitação, em fraternidade. O Mestre irradiará seu discípulo, permitindo que ele o alcance em termos vibracionais, pois o mestre nada ensina porque confia na maestria de seu irmão. Então ele irradia para que a energia de maestria do Mestre seja o atrativo magnético à maestria do discípulo. A energia do amor é algo que atrai, pois todos desejam ser amados. O mestre ama seu discípulo a permitir que esse amor seja recíproco e incondicional.
Assim atua a grande fraternidade em relação a toda humanidade, irradiando amor, e aguardando que aqueles que estejam prontos a receber esse amor se abram ao propósito comum de iluminar tantos corações em sofrimento. Pois nós, os mestres, também somos seus discípulos. Na unidade somos um.

O que seria um chohan?
Um chohan é um irmão que pela sua experimentação de alma, sabedoria e amor, aceita com humildade a tarefa de ser um direcionador dos trabalhos da casa dispensadora, sempre com o auxílio do Maha Chohan e dos instrutores do mundo. Um chohan jamais toma decisões, ele age em conformidade com o Um, de acordo com a unidade de propósito de sua casa dispensadora. É um processo de união de corações, e não de tomada de decisão como é feito na Terra.

Qual o propósito das casas dispensadoras?
As casas dispensadoras são irmandades em unidade de corações, que ancoram um aspecto primordial da fonte à humanidade. Atuam no sentido de criar condições energéticas para que, em unidade, cada ser vinculado ao projeto Terra, tenha condições de flamejar sua essência ao mundo. Assim é que as casas dispensadoras trabalham, com a ajuda de bilhões de seres, cada um dos aspectos primordiais da fonte, para acelerar o processo de evolução espiritual da humanidade.

Qual a função do Maha Chohan?
O Maha Chohan é aquele que ancora a luz neutra a todas as casas, para que, a partir de seus membros, os aspectos primordiais possam ser trabalhados, junto aos corações dos homens. Atua com instrutor dos chohans nas decisões planetárias e locais.

Esses cargos são fixos?
Vocês denominam de cargos, mas podemos dizer que são funções de acordo com o coração dos mestres, que tem como único propósito o auxílio à humanidade. Eles se modificam de acordo com a necessidade do agora, nada é estável e tudo é feito para se obter eficiência no propósito.

Qual a função dos mestres ascensos dentro das casas dispensadoras?
Os mestres ascensos não são personalidades como vocês imaginam, figuras humanas. Eles se manifestam por meio de uma personalidade aglutinada de toda sua experiência cósmica, como uma memória do registro akáshico da energia Eu Sou. A manifestação é una. A personalidade é apenas para que a mente humana compreenda o processo de ascensão, e manifestação de um mestre ascenso. Mas, em verdade, o que há é uma unidade energética que atua em prol da humanidade e do planeta.

O que é iluminação e ascensão?
A iluminação, é o pleno despertar com o conhecimento das regras cósmicas que vigoram no planeta. Já a ascensão, é a integração do coração à unidade, a diluição da personalidade à presença Eu Sou, o que permite o domínio das leis naturais da humanidade. Um mestre ascenso encarnado manipula as energias, e pode até atuar junto às leis físicas para sua modificação. Sua consciência não se encontra mais presa à ilusão da grade planetária.

Quais são os aspectos que devem ser trabalhados para que a humanidade compreenda esse maravilhoso trabalho que é feito pela grande fraternidade branca?
A grande fraternidade atua na instrução do mundo, além da irradiação do amor e da luz. Assim é que, com paciência e resignação, os ensinamentos mais elevados serão trazidos à humanidade, para que, na expansão de compreensão, o amor caminhe entre as brechas apertadas da grade planetária.

Qual o legado que os mestres nos deixam?
O caminho de todos é o de sua própria libertação interior, de ancorar sua luz interior livre de restrições e assim ajudar ao planeta a aumentar seu coeficiente de luz. Cada um que se ilumina e transcende suas próprias dores, amarguras e sofrimento, deixa um legado ao planeta. Esse legado pode ser dito como um caminho de luz, um caminho de transcender suas próprias restrições.
Esse foi o legado de cada um dos mestres, deixar um rastro de luz, mostrando que é possível a ascensão no planeta a partir do contato profundo com sua própria luz, com sua verdade, e do abandono de tudo aquilo que a personalidade humana os impõe como certo ou errado, verdadeiro ou mentiroso. É o abandono do julgamento, das expectativas, para que assim a luz interior brilhe, desbloqueada de toda restrição, livre, a caminho da construção de um novo planeta, mais próximo do amor de Deus e distante do egoísmo dos homens.

Quando dizem coeficiente de luz planetário, a que estão a se referir? 
Cada um dos focos de luz, partes da consciência universal, que integram o projeto Terra atualmente (e nos referimos às consciências encarnadas e desencarnadas, que de alguma forma se mantém atrelados à consciência planetária), fazem parte de um projeto de evolução coletivo que se inseriram. É um projeto de evolução e experimentação da alma em prol do todo. 
Esse projeto, assim como outros existentes no cosmo, onde nosso Pai mantém muitas moradas a seus filhos, não pode produzir energia densa de maneira que influencie negativamente outros projetos em atividade. Há que se manter um mínimo coeficiente de luz, de maneira a não interferir na evolução de outros grupos de consciência, que se encontram em projetos semelhantes ou não. 
Assim é que a humanidade, no ano de 2012 de seu tempo linear, atingiu o coeficiente de luz necessário à expansão, evolução e continuidade do projeto, rumo a um mundo onde a ascensão os conduzirá à regeneração. 
Para que um projeto possa ter continuidade, há que se manter esse coeficiente mínimo, pelo qual o grupo de almas inserida possa decidir sobre seu trajeto de iluminação e evolução. 
O coeficiente de luz planetário é isso, a luz ancorada pela consciência coletiva, de forma a não permitir que a densidade a ofusque, a prejudicar o andamento de outros projetos por todo o cosmo. 
Vê-se a importância do amor, da caridade, da manifestação da irmandade em cada ato, em cada sorriso, a cada abraço, pois esses pequenos atos aumentam e mantém diariamente o coeficiente de luz planetário, a permitir a expansão do próprio projeto rumo à evolução de todos. 
Lembrem-se, filhos, o amor é a energia primordial da expansão e, ao amarem, ao serem luz, irradiam energia que atinge a consciência de milhares, muitas vezes de milhões, onde o planeta entra em um ciclo de sua própria expansão ao amor de Deus.

Qual o papel do lado escuro nesse arranjo?
O lado escuro, ou as energias mais densas, atuam em prol do todo, do aumento do coeficiente de luz. Apontam e evidenciam os pontos que precisam ser superados e iluminados, para a expansão do todo. Tudo é perfeito e nada está fora da ordem. Cada um contribui à sua maneira ao todo. 

Qual o papel dos trabalhadores da luz nesse projeto?
Não existem trabalhadores da luz, na acepção da palavra. Existem seres que se inseriram nesse projeto e que ajudam no incremento do coeficiente de luz. Mas apenas o Um é a verdade, e o todo não existe sem qualquer de suas partes. A luz é luz, e está no coração de cada ser humano, de cada ser inserido nesse projeto. Trabalham para a luz, todos aqueles que simplesmente se mantém em paz, em harmonia, e levando com amor, fé e simplicidade seus dias. A luz é ancorada através de uma oração, de um sorriso, ou de um simples café feito com amor. Todos esses atos de amor se transformam em canais da manutenção da luz planetária.

Não existe luz e escuro?
Existe somente um planeta. Uma unidade de experimentação. Aqueles que denominam de escuro, apenas exercem seu papel de evidenciar a falta de luz. Aqueles que apontam como seres de luz, são justamente os que abrem as brechas para a existência do escuro. O que há, em verdade, é um grupo em evolução: O UM. E o projeto caminha à medida que cada um exercer seu papel, pois um lado leva o outro ao seu próprio questionamento. E isso leva à evolução em amor. Deus é perfeito em seus desígnios.

Existe um comando planetário?
O que há, filhos, é um grupo de almas experimentadas que ajudam na condução da evolução do planeta. São os pilares da mais pura luz à humanidade. Mas mesmos esses seres de alta vibração não estão no comando, pois cada ser é livre a escolher seu caminho. O que chamam de comando são nada mais que pilares de luz que, com fé, evidenciam o amor, e assim criam o magnetismo necessário à evolução do UM.

Quem são esses seres que exercem essa função?
São almas experimentadas. E, por isso, dizemos almas que mostraram sua fé e seu amor em outros e no projeto Terra. Eles vieram como guias da humanidade, a auxiliar no processo de evolução. São seres que resgatam sua sabedoria e assim agregam ao todo seu amor. São os mostradores do caminho, o exemplo de luz para que outros, quando perdidos em seu trajeto, tenham um exemplo de superação como o guia de suas próprias consciências. 

* OBS: Todas as informações acima foram recebidas através de canalização por Thiago Strapasson.

Poderiam nos descrever alguns mestres?