quarta-feira, 5 de julho de 2017

1. Como trazer um pouco de paz em um ambiente pesado da rotina diária?


Quantas queixas, quantas lamentações ouvimos diariamente quando estamos inseridos em um ambiente corporativo, onde somos colocados diante dos nossos próprios medos, das nossas próprias superações. A trazer para a nossa vida mais desafios através das experiências a que somos expostos, e que desafiam exatamente aqueles pontos de fragilidade, onde somos de fato atingidos em profundidade, as nossas dores.

Vivemos nos dias atuais, rotinas estressantes, correria do dia a dia, nas companhias, no trânsito, na rua, e até nas atividades diárias, onde não sobra tempo para nos dedicarmos aos filhos, aos parentes, aos pais, aos animais. E muito menos nos sobra tempo para os momentos de descanso e silenciar da mente.

Estamos inseridos de forma intensa em nossas experiências, e transformamos as nossas rotinas em verdadeiras torturas diárias, onde vemos com sofrimento todas as obrigações. Onde não conseguimos vislumbrar a mudança, onde nos inserimos de tal forma nos problemas diários, que deixamos de lado a nossa essência, a voz da nossa verdade e da nossa verdadeira identidade.

Então chega a nós o questionamento que é de todos, de como encontrar paz em meio a essa realidade.

Mas a pergunta apenas está elaborada de forma mental, a não dar abertura para a entrada da verdade, da transcendência da matéria e da ilusão.

A mente humana, é poderosa fonte criadora de realidade, aquela realidade que se manifesta diante dos seus olhos, e que gera diversas formas de sentimentos, de expressões, é nada mais do que a criação mental.

O sentimento, o ego, as sensações, e as opiniões relacionadas à personalidade humana, são todos aspectos mentais, e que fazem parte apenas da experiência material dessa vida.

O objetivo do Ser, e a única forma de encontrar a verdadeira felicidade, é transcender todos esses aspectos, que nos mantem presos à rede planetária, à matriz de controle e que manifesta todos os sete pecados capitais, todos os sentimentos ligados apenas à materialidade.

O desafio em ser humano, é, mesmo enquanto inserido em meio a essa realidade, conectar ao coração, à sua própria verdade e essência divina, encontrar o seu propósito de vida, aquilo que apenas será mostrado quando decidires olhar para todos os aspectos negados de sua própria personalidade.

Então a única forma de obter paz em um ambiente pesado de rotina diária, é apenas uma pergunta elaborada através da mente ilusória da matéria. Pois aquele que faz com que o ambiente receba o adjetivo de “rotina” ou de “pesado”, é apenas a mente, povoada de sentimentos, emoções, medos.

O rótulo colocado e que gera os adjetivos que dão nome às nossas dores, deveriam apenas se chamar medo. Pois todos os sentimentos de insatisfação diante da vida, da própria rotina, ou o que faz com que olhemos para o externo, esquecendo-se do Eu Interior, é apenas a negação das próprias restrições.

O ser humano, coloca no externo o motivo do seu sofrimento, o que faz com que crie uma realidade de sofrimento em sua volta, que nada mais é do que a materialização criada pela sua própria mente, do seu sofrimento interior, da negação à sua própria verdade.

Quando identificado o seu dom de alma, não há mais a escolha de qual estrada trilhar rumo à felicidade, há apenas um caminho, que é aquele que materializa a sua felicidade plena. Mas para isso é necessário transcender dentro de si mesmo todos os aspectos inferiores que os mantém presos ao medo, aquele medo que os impede de ser a sua própria verdade.

Vocês olham para dentro de si, e se deparam com muitas coisas divinas, reluzentes em luz, mas também se deparam com aspectos inferiores que ainda negam. E apenas a partir do momento em que decidirem olhar para essas inferioridades, acolhê-las e aceitá-las, é que passarão a ver apenas luz e alegria em qualquer ambiente. Mesmo naqueles que hoje são adjetivados por vocês como ambientes densos ou de sofrimento.

O denso visto do lado externo, é apenas o reflexo da sua própria densidade interior.

Observem com o olhar de uma criança. Como uma pequena criança veria tudo isso? Ela vê com alegria e luz, mesmo os ambientes que para você são mais densos. São apenas estados vibracionais. Pois elas ainda estão livres do julgamento. Elas não estão negando nem aceitando aspectos inferiores. Elas estão plenamente conectadas com o divino, e expressando a sua luz para o externo. E que faz com que se mostre diante dos seus olhos, apenas alegria e paz.

As atividades diárias são apenas repetições. Cada dia vocês iniciam uma nova jornada, a qual será repetição daquela realidade diante dos seus olhos, aquela que pode ser reluzente em luz, ou densa. De acordo com o seu olhar, a sua vibração.

Vocês podem transformar tudo o que é denso em luz, da mesma forma que podem transformar tudo o que é luz em denso, diante dos seus olhos. E que manifestará no coletivo um novo mundo de paz, ou de densidade. Por isso é de tão importância o olhar interior.

Para trazer paz em um ambiente denso, basta passar a comprometer-se no exercício diário de observação a si mesmo, quando em meditação poderá descobrir o que sua mente mostra a você. Se há algo a ser mostrado, é exatamente aquilo que o separa da sua própria paz.

Antes de comprometer-se em trazer a paz para o ambiente denso, olhe o ambiente interno. Ele está denso ou irradiado de luz? Trabalhe para iluminar o seu ambiente interior, comprometa-se em aceitar as verdades que aparecerão para ti quando fizer esse exercício, e verá como todo o externo, gradativamente também se transformará.

O ambiente interior é de dor? É de raiva, é de revolta? É de insatisfação? Então você apenas poderá ver isso no externo. Perderá a conexão com o divino que está ali na sua frente diariamente, mas que você se nega a olhar, porque vestiu os óculos da sua própria densidade, que distorce a verdade que é colocada diante de si todos os dias, e que você se nega a olhar e identificar dentro de si mesmo.

A decisão e o comprometimento em encontrar a sua verdade, é de livre arbítrio e parte de você. Ninguém irá cobrá-lo, ninguém irá acompanha-lo. É algo que apenas funcionará se houver o comprometimento de si consigo mesmo. E a determinação em definitivamente encontrar a felicidade.

Você começará a encontrar paz na sua rotina diária, quando deixar cair as armas, a defesa, o medo e o ego, que o impede de aceitar o que já sabe que está ali dentro de si mesmo, e que precisa ser acolhido como verdade e com amor. Não é um trabalho que mostrará resultado definitivo em apenas um dia. Mas é o comprometimento em trabalhar essa conquista.

É a busca pelo sentimento do divino, que mora dentro de si, e que foi impedido de se manifestar, e que é natural da experiência da matéria, que torna todos os sentimentos exacerbados, todas as emoções e os medos são intensificados e com isso vocês se distanciam ainda mais dessa conexão pura com a verdade. O ego é o instinto natural de defesa que nega o tempo todo as verdades que necessitam enxergar. Vocês vivem baseados nesse escudo, mas estarão sempre a se protegerem da revelação da sua própria luz.

A fórmula para trabalhar essa cura? O amor. Esse é o remédio, o único realmente eficiente nesse trabalho de encontro consigo mesmo e desconexão com o ego e a proteção mental criada e manifestada dos sentimentos ligados à matriz.

Michele Martini
Fonte: www.pazetransformacao.com.br